Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um café e duas natas.

Um local onde se escreve por gosto, por terapia.

Um local onde se escreve por gosto, por terapia.

Um café e duas natas.

19
Jun17

Ponto da situação

1cafe2natas

Quinta-feira rumei a casa dos meus pais. O pai que a Vida ainda me permite ter está ainda no hospital (saber mais aqui), queriam deixá-lo sair sem diagnóstico mas, pelo menos até amanhã ainda lá estará. 

Quanto a mim sinto falta do sol, de poder ter umas férias normais como os da minha idade e, apercebo-me cada dia mais que o que me limita não são as rodas em que me desloco mas sim o modo de pensar de muitos dos que me rodeiam.

Conclusão: é fazer o que faço sempre, esperar por dias melhores.

14
Jun17

Filme: Collateral Beauty

1cafe2natas

Um filme que fala da morte, do tempo e do amor. Um filme onde se vê claramente como a morte de um dos nossos causa dor, nunca se ultrapassa, só se ameniza. Um filme que nos mostra que alguém pode partir (fisicamente) mas as mazelas e o amor sentido permanecem, intocáveis. Um filme que é sinal de que...há sempre uma possibilidade de tudo melhorar, mesmo quando sabemos que, melhorar, não significará voltar TUDO a ser como era antes!

Belo desempenho de Will Smith, num registo completamente do habitual!

 

13
Jun17

...

1cafe2natas

Recebo agora a noticia de que o único pai que a Vida ainda me permite ter está no hospital.

Já ultrapassou um cancro cerebral, tuberculose e está magrissimo mas, encontrava-se "bem".

Voltaram os ataques de epilépsia, voltei, eu, ao dia 28 de fevereiro do meu 6º ano. Tudo se repete!

13
Jun17

Tragam-me energias positivas!

1cafe2natas

Esta coisa de estar sempre a mudar de estaminé faz com que cada vez que abrimos as portas a um novo seja difícil ter vizinhos que nos leiam...ora, eu posso adiantar que me fazem falta uns vizinhos (daqueles que dão carinho e ao mesmo tempo respeitam o espaço do outro) que isto de andar cabisbaixa e sem vizinhos não tem graça nenhuma. Tragam-me energias positivas, que a salsa, essa, já está no armário.

11
Jun17

Hope

1cafe2natas

É minha! E enquanto ela existir há esperança!

Teve quatro dias debaixo do carro sem de lá sair, ao fim desse tempo trouxe-mo-la para casa, era bebé, estava assustada mas, a muito custo, veio. Eu, que estava a passar por muitas complicações (que me levaram a estar agora na situação onde estou (ver aqui)) dei-lhe o nome de Hope, por isso, enquanto ela existir...há esperança!

 

19114434_317924608663074_501809492_n.jpg

 

10
Jun17

Coisas que fazem sentido...#1

1cafe2natas

Vi no Quiosque da Joana e fez todo o sentido para mim...agora.


"Morre lentamente quem não viaja, quem não lê,
quem não ouve música,
quem não encontra graça em si mesmo.

Morre lentamente quem destrói o seu amor-próprio,
quem não se deixa ajudar.

Morre lentamente quem se transforma em escravo do hábito,
repetindo todos os dias os mesmos trajetos,
quem não muda de marca, não se arrisca a vestir uma nova cor
ou não conversa com quem não conhece.

Morre lentamente quem faz da televisão o seu guru.

Morre lentamente quem evita uma paixão,
quem prefere o negro sobre o branco
e os pontos sobre os "is" em detrimento de um redemoinho de emoções
justamente as que resgatam o brilho dos olhos,
sorrisos dos bocejos, corações aos tropeços e sentimentos.

Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz,
quem não arrisca o certo pelo incerto para ir atrás de um sonho,
quem não se permite pelo menos uma vez na vida fugir dos conselhos sensatos.

Morre lentamente quem passa os dias queixando-se da sua má sorte ou da chuva incessante.

Morre lentamente quem abandona um projeto antes de iniciá-lo,
não pergunta sobre um assunto que desconhece
ou não responde quando lhe indagam sobre algo que sabe.

Morre lentamente..."

Pablo Neruda

10
Jun17

Um café e duas natas

1cafe2natas

Um café e duas natas porque a vida, tal como eu, é de extremos - ou muito doce ou muito amarga.

Eu, crio sempre novas folhas em branco nas mais diferentes fases da minha vida...espero mudanças, espero recomeços mas tudo não passa de um ciclo. Um ciclo onde damos tudo e recebemos chapadas e quando não damos nada, recebemos boas surpresas!

Eu, hoje, não percebo o sentido da vida, o sentido de se nascer, lutar, trabalhar, muitas vezes se sobreviver, em vez de viver, para depois (um dia) se morrer. Eu, queria ter as respostas para tudo mas os anos passam e cada vez sei e entendo menos do que andamos aqui a fazer. Mas, ando aqui, sobre duas rodas e um acento incómodo.

Qual o nosso propósito? Qual o meu propósito?

Hoje, eu, devia estar a terminar a minha licenciatura mas...ficaram 6 cadeiras por fazer! E, pior do que muitos não acreditarem nas minhas capacidades é que eu acabo por não acreditar em mim. Invade-me o medo do futuro. Angustia-me o facto de algumas pessoas quererem fazer de mim uma máquina, uma máquina que tem de ser bem sucedida nos timings certos e não um ser humano.

Eu, podia ter feito mais e melhor mas...fiz o que consegui.

 

O "Um café e duas natas" começa hoje e hoje: esta sou eu.

Outros dias virão.

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D